Quinta, 01 de março de 2018, 08h57
Tamanho do texto A- A+


Esportes / carioca

Com força máxima, Vasco quer fim de jejum para se manter vivo

O Macaé, por sua vez, foi a pior defesa do Grupo C na Taça Guanabara e não vence há cinco partidas

Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Clique para ampliar

Classificado para a fase de grupos da Libertadores, o vascaíno quase deixou de lado o Campeonato Carioca. Mas Zé Ricardo, não. Ainda buscando uma classificação para as semifinais do estadual, o treinador escalará força máxima contra o Macaé, nesta quinta, às 19h30, em São Januário, para voltar a vencer e, claro, a balançar as redes - o que não acontece há mais de duas semanas.

Desde que Zé Ricardo chegou ao Vasco, no meio do ano passado, o time não passava por um jejum de gols em duas partidas seguidas. Contra o Jorge Wilstermann, na altitude, derrota arrasadora nos 90 minutos. Diante da Portuguesa, no último domingo, atuação fraca do setor ofensivo e poucas chances de gol. O Macaé, por sua vez, foi a pior defesa do Grupo C na Taça Guanabara e não vence há cinco partidas.

Além do pequeno tabu, outro fator neste ano começou diferente para Zé Ricardo. Se em 2017 ele não venceu nenhuma partida por dois gols de diferença no Vasco, só neste início foram algumas goleadas, pela Libertadores e Carioca. Por isso, quer começar o mês de março com o pé direito, retomando a boa fase dos primeiros jogos do ano.

JEJUM DOS ARTILHEIROS

O Vasco tem, atualmente, dois centroavantes no elenco. Ambos estrangeiros e, coincidentemente, vivendo má fase na principal função: balançar as redes. O argentino Andrés Rios não marca há mais de um mês e terá nova chance de acabar com o jejum. Ele entende a cobrança da torcida.

- Quem me cobra sou eu. Eu sempre falei isso, que como centroavante tenho de fazer gols - revela o atacante.

Na sombra do argentino está Duvier Riascos, xodó da torcida. Porém, mais pelo carisma do que pelo rendimento em campo. O reserva do ataque ainda não marcou gols desde que retornou ao clube e desperdiçou a chance contra a Portuguesa, no último jogo. A disputa pela titularidade continua e a dupla sabe que precisa mostrar serviço para convencer o treinador.

- O principal é o Vasco. Quem o treinador achar que tem mais condições vai jogar. As decisões são sempre dele. Quem jogar amanhã tem de dar tudo, sem esquecer a Libertadores, mas o próximo jogo é sempre o mais importante - conclui Rios.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2018 - Todos os direitos reservados