Domingo, 16 de julho de 2017, 08h51
Tamanho do texto A- A+


Esportes / mundial de surfe

Jordy e Wilko vencem as únicas baterias pela repescagem

WSL realiza nova chamada para avaliar o mar às 8h45 (horário de Brasília). Filipe Toledo, Caio Ibelli, Wiggolly Dantas, Miguel Pupo, Jadson André e Ian Gouveia lutam pela sobrevivência na 2ª fase

Kelly Castari

Clique para ampliar



Rivais diretos na briga pela liderança do ranking, Matt Wilkinson e Jordy Smith venceram as únicas baterias realizadas pela repescagem em Jeffreys Bay, na África do Sul.

 

O australiano número um do mundo passou com propriedade pelo local Michael February, convidado após o bom desempenho no QS 10000 em Ballito, enquanto Jordy derrotou Dale Stapels, que se garantiu em J-Bay ao vencer a triagem para o evento principal.

 

A organização da sexta de 11 etapas do Circuito Mundial fez algumas chamadas ao longo da madrugada até decidir colocar as duas primeiras baterias do round 2. O longo intervalo entre as séries e a falta de oportunidades levaram a WSL a deixar a disputa em espera até 8h45, quando foi decretada a folga aos surfistas.


A próxima chamada será na madrugada desta segunda-feira, às 2h30 (de Brasília).

 

Gabriel Medina, Adriano de Souza e Italo Ferreira venceram na estreia e avançaram diretamente à terceira fase. O próximo brasileiro a entrar na água é Jadson André.

 

O potiguar enfrenta Kolohe Andino na quarta bateria do round 2. Miguel Pupo encara Connor O'Leary na bateria 6, Filipe Toledo mede forças com Kanoa Igarashi na oitava, e Caio Ibelli pega Stuart Kennedy na quinta. Wiggolly Dantas tem Ezekiel Lau pela frente, e Ian Gouveia luta pela última vaga no round 3 com Frederico Morais.

 

Com cinco campeões distintos nas cinco de 11 etapas completadas nesta temporada, a briga pelo título está aberta.

 

O top 5 mundial está separado por 600 pontos. Quem terminar na frente, ganha a lycra amarela de número um. O líder Wilko defende a ponta, mas é ameaçado por John John Florence (2º), Adriano de Souza (3º), Owen Wrgith (3º) e Jordy Smith (3º). O campo de batalha são as direitas de Supertubes. Uma onda longa, rápida e perigosa que quebra sobre uma bancada pedras e areia, exigindo experiência.

 

Jordy Smith foi surpreendido por um inspirado Conner Coffin na abertura da etapa sul-africano, mas passou pela primeira e penou para vencer Dale Staples na primeira bateria da repescagem.

 

O mar não cooperou, mas o único representante africano na elite tirou leite de pedra. Jordy arrancou um 4.67 e um 6.00 e levou a melhor sobre o vencedor da triagem por 10.67 a 10.27.


Matt Wilkinson também respirou aliviado. Após perder para Jeremy Flores na estreia, Wilko se recuperou e não deu chances a Michael February. As condições eram desafiadoras, porém, o australiano se manteve firme e se impôs sobre o perigoso wildcard da Cidade do Cabo. Com as notas 6.17 e 6.93, Wilko superou o local por 13.10 a 11.67 e carimbou o passaporte para o round 3.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2013 - Todos os direitos reservados