Quarta, 28 de fevereiro de 2018, 09h04
Tamanho do texto A- A+


Esportes / libertadores

Palmeiras encara ‘time de Borja’, desafeto de Pitbull e árbitro de confusão

A partida desta quinta-feira também será especial para Miguel Borja

Nesta quinta-feira, o Palmeiras faz sua estreia pela Copa Libertadores 2018, em duelo contra o Junior Barranquilla, às 21h30 (de Brasília), na Colômbia. Além da expectativa óbvia pelo primeiro jogo do Verdão no torneio, a partida ainda traz como atrativos o reencontro do clube com o árbitro Enrique Cáceres, de Felipe Melo com Matias Mier e de Miguel Borja com sua equipe de coração.

No confronto válido pela fase de grupos da Libertadores de 2017, Felipe Melo se envolveu em uma confusão com os jogadores do Peñarol e, assim que o árbitro Enrique Cáceres encerrou a partida (3 a 2 para o Palmeiras), foi perseguido pelos uruguaios e acertou um soco em Matias Mier, volante uruguaio que atualmente defende o Junior Barranquilla.

“Espero que o Palmeiras não fique marcado pelo árbitro. Não procuramos confusão em momento algum, apenas nos defendemos de uma situação hostil. Acredito que (Enrique Cáceres) vai fazer um trabalho profissional. Claro que podem ocorrer erros, a favor e contra, mas nada calculado. Temos que pensar em futebol. Todos viram que o Felipe não procurou aquela confusão, só se defendeu. Acredito que não vai ter nada daquilo e que vença o melhor”, disse o meia Moisés, ausência na ocasião por estar se recuperando de contusão.

A partida desta quinta-feira também será especial para Miguel Borja. Na Infância, o atacante colombiano torcia pelo Junior Barranquilla, que no último ano chegou a tentar a contratação do camisa 9 por empréstimo e, posteriormente, com compra de seus direitos federativos.

“Eu, particularmente, não brinquei com Borja, mas outros jogadores podem ter falado alguma coisa. Todo mundo teve uma equipe na infância, mas a partir do momento em que se torna profissional, você defende o clube da melhor forma possível. Já joguei contra o América-MG, clube que torço, e conseguimos vencer os dois jogos. Mostrar para a equipe que você ama que, no futuro, você pode defender aquelas cores. Como o Felipe fala, o Palmeiras é quem põe o pão na sua casa”, completou Moisés.

Em meio a tantas dificuldades, o camisa 10 do Palmeiras, que voltará a ser relacionado para um jogo após uma longa pré-temporada, prefere não apontar ainda mais obstáculos. Além disso, Moisés e todo o grupo apostam na experiência do clube na Libertadores.

“É estreia, fora de casa, onde eles são fortes. Por isso não pode ter só 100% de concentração, tem que estar 110%. Até por que eles já vêm jogando a competição (pré-Libertadores). Isso tem que colocar em prática dentro de campo. Não adianta ter jogador experiente. Se tiver menos vontade do que quem nunca disputou, esse vai sair na sua frente. Maturidade, personalidade, qualidade, que nossa equipe tem – e é muita. Mas se a gente não se entregar mais do que o adversário, nada disso vai adiantar”, finalizou.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2018 - Todos os direitos reservados