Quinta, 15 de junho de 2017, 08h00
Tamanho do texto A- A+


Judiciário / novo depoimento

Silval delata Riva e diz que ele recebeu propina para manter contrato da Consignum

Isso é o que consta na decisão da juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Arruda, que converteu a prisão preventiva em medidas cautelares nesta terça-feira (13)



O ex-governador Silval Barbosa delatou, que o ex-deputado estadual, José Geraldo Riva, como presidente da Assembleia Legislativa, no ano de 2013, procurou por ele com intuito de substituir a empresa Consignum pela Zethra Gestão de Benefícios Consignados, a qual pagaria propina no montante de R$ 1 milhão.


Isso é o que consta na decisão da juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Arruda, que converteu a prisão preventiva em medidas cautelares nesta terça-feira (13).

 

“Concordando aumento do valor da propina, Silval Barbosa teria dado processo licitatório para a contratação da Zethra, porém a empresa Consignum teria conseguido decisão liminar judicial, suspendendo tal processo. Relata que, após várias tentativas do proprietário da Consignum em conversar consigo, em meados de 2014, quando estava na casa de seu irmão Antônio, chegaram ao local Valdinei Mauro de Souza vulgo Nei acompanhado de Willians Paulo Mischur, quando em conversa com Mischur, orientou-o a tratar da renovação do seu contrato diretamente com José Riva, desde que se acertassem”, diz outro trecho do interrogatório.

 

Segundo Silval, posteriormente soube que o ex-deputado tinha combinado com o empresário Willians Paulo Mischur e Pedro Elias um retorno de R$ 250 mil mensais à ele, cujo pagamento se deu em 2014.

 

O ex-governador disse, ainda, que se encontrou com Willians em 2011 no Palácio do Governo, junto com Cézar Zílio para comprovar a Mischur que ele tinha conhecimento do acerto de propinas recebidas por aquele.

 

“Nesta ocasião, confirmou também que o Paulo Mischur foi até sua residência, acompanhado de Nadaf a fim de que comprovasse para o Willians que dali por diante Pedro Elias seria o responsável por assumir a gestão dos recebimentos das propinas, isto em 2013 ou 2014”.

 

Wallace foi beneficiado


Também foi descoberto durante depoimento de Silval, que o ex-prefeito de Várzea Grande teria se beneficiado de propinas para utilizar na campanha eleitoral que disputava a Prefeitura.

 

“Confessou, ainda, que no ano de 2012 combinou com César Zílio recebimentos de propinas de empresas do ramo gráfico representadas por Wallace Guimarães, tendo acertado na ocasião que Wallace iria efetuar apenas parte dos serviços contratados e, em contrapartida, repassaria propina a César Zílio e utilizaria parte desses recursos na campanha eleitoral para Prefeitura de Várzea Grande em 2012”.

 

Rodrigo Barbosa

 

Silval disse em seu interrogatório que seu filho, Rodrigo Barbosa recebeu parte de propinas pagas pela Webtech.

 

“Com relação à empresa Webtech Softwares e Serviços disse que na época dos fatos não ficou sabendo que a mesma estaria pagando propinas para os Secretários, mas que posteriormente soube que Pedro Elias teria repassado parte das propinas pagas pela empresa para o seu filho, Rodrigo Barbosa”.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2013 - Todos os direitos reservados