Terça, 19 de setembro de 2017, 10h01
Tamanho do texto A- A+


Política / Nome na lista

Dilmar segue como Líder do Governo na AL e diz que lista de Silval foi montada

A declaração foi feita durante entrevista na rádio Capital FM, nesta terça-feira (19)

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) afirmou que segue na liderança do governo na Assembleia Legislativa e disse ainda, que na lista com nomes de parlamentares que receberam propina, citados na delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), foi supostamente montada.

 

A declaração foi feita durante entrevista na rádio Capital FM, nesta terça-feira (19).

 

“Isso é uma ilação não uma delação. Quando ele cita que estive no palácio para falar sobre o MT Integrado, participei de algumas reuniões para tratar de assuntos do Estado e nunca e nem sei quais são as empreiteiras que executaram ou executam obras do MT Integrado. Nunca participei de reunião para tratar sobre o MT Integrado. Sobre a lista, se for analisar, antigamente os empresários usavam folhas de ponto para os colaboradores que trabalhavam. Tínhamos uma lista na nossa empresa. Mas, se pegar a lista pode observar que com a mesma letra e caneta ou outras em computador com datas diferentes no mês de maio dias 21, 26 ou 27. Depois vem o mês de junho e agosto todas com a mesma caneta e letra bem desenhada. Será que ele fez tudo no mesmo dia? O meu exemplo é que cai num domingo três vezes. Nunca estive no palácio nem no governo de Taques, vou sábado as vezes, mas num domingo. É uma lista que não sei porque foi criada. Mas, não condiz com a verdade. Estou tranquilo com isso e vou aguardar para me posicionar. Pra mim foi algo montado porque a pessoa nem percebeu que colocou data de domingo. Nunca tivemos contato com esse pessoal em domingo. Fui em dias de semana, mas referente a assuntos do Estado no palácio”, explicou.

 

Dilmar ressaltou que conversou com o governador Pedro Taques (PSDB) e a sua permanência como líder do governo na AL após a delação de Silval e acusações feitas por ele.

 

“Não vou deixar a liderança. Conversei com o Taques expliquei que sempre fui oposição ao Silval. Estou tranquilo, até porque nunca participei de conversa com Silval. Espero que a verdade apareça”.

 

Quanto ao apontamento feito pelo peemedebista da propina em cima do MT Integrado de 4% para os parlamentares, o deputado disse desconhecer o fato.


“Não tenho conhecimento sobre 4% o que o secretário dele falou de um acordo de R$ 600 mil para cada deputado que é essa lista. Não tenho conhecimento dessa porcentagem para cada um, nem sei quais são as empresas que executaram essas obras. Não tenho conhecimento e nunca tive contato sobre o MT Integrado”, disparou.

 

Caso Dilceu

 

Sobre o episódio de que Silval teria comprado apoio do DEM e que envolve seu irmão Dilceu Dal Bosco na campanha eleitoral de 2010, o democrata disse que ainda não conversou com ele.

 

“Não consegui conversar com ele para saber o que isso tem a ver e do que se trata. Vou falar com ele porque deve ter uma explicação sobre isso’, finalizou.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2013 - Todos os direitos reservados