Quarta, 15 de agosto de 2018, 14h32
Tamanho do texto A- A+


Política / SEDUC E SEGURANÇA

Secretários prestam contas das metas físicas

A Assembleia Legislativa está cumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) , quando as instituições públicas têm que prestar conta de suas ações à sociedade

A secretária de Estado de Educação e o secretário de Segurança Pública, respectivamente, Marioneide Angélica Kliemaschewsk e Gustavo Garcia Francisco participaram hoje (15) de audiência pública na Assembleia Legislativa para explicar à sociedade as metas físicas das duas pastas, nos primeiros seis meses de 2018.

A secretária Marioneide Kliemaschewsk afirmou que o estado já investiu nesse período cerca de 29,3% da receita estadual na educação. O índice definido pela Constituição é de 25%. Ela ressaltou que a crise financeira limita a capacidade de o estado investir mas, para driblar a crise financeira, a Seduc tem dado atenção às prioridades da secretaria.

Em Mato Grosso existem 767 escolas públicas estaduais. Para este ano, a Lei Orçamentária Anual (LOA) está prevendo uma receita de R$ 2,894 bilhões. A secretária disse que a rede estadual está com mais de 6,5 mil alunos sendo alfabetizados. Em relação à escola em tempo integral, Escola Plena – são 39, e uma que é de tempo integral voltada ao esporte, localizada na Arena Pantanal.

Marioneide disse que hoje o estado conta com 3.324 mil novos professores de educação básica, que cumprem 30 horas semanais, todos nomeados até o mês de julho deste ano. Os docentes são todos do concurso público realizado em 2017 pela Seduc. Em relação á educação do campo, o estado tem 145 escolas e atende cerca de 39 mil alunos.

Marioneide disse ainda que, em 2018, o estado já construiu três novas escolas, sendo duas em prédios novos e uma em escola nova e com prédio novo. Segundo a secretária, existem em todo o estado 116 obras em andamento. Para a alimentação escolar, a previsão de investimento é de R$ 20 milhões.

Segurança Pública

O secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia Francisco, afirmou que todo o sistema de segurança pública, no primeiro semestre de 2018, está motivado para enfrentar com rigor a criminalidade no estado. Segundo ele, várias operações foram realizadas de forma integrada entre as polícias mato-grossenses.

Ele citou, por exemplo, a operação ‘Red Money,’ realizada na semana passada pela Polícia CivilFalou também sobre as apreensões de armar realizadas pela Polícia Militar e ainda as operações feitas na região de fronteira do Estado de Mato Grosso.

“Em 2018, já foram apreendidas oito aeronaves com grandes carregamentos de drogas. Elas foram tiradas de circulação. Essas ações fazem com que haja salvamento de vidas e tire pessoas do vício de drogas”, explicou o secretário.

De acordo com Gustavo Garcia, o município de Cuiabá deixou de ser a sexta cidade mais violenta do país. “Isso nos colocava com 24 mortes para cada 100 mil habitantes. Esse índice é abaixo da média nacional. Hoje, Mato Grosso é o terceiro em investimentos em segurança pública. Mato Grosso está entre os três estados brasileiros que menos se roubou veículos nesse período”, disse o secretário de Segurança Pública.

Em relação à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Gustavo Garcia disse que há um histórico de déficit em investimentos. Segundo ele, eram investidos cerca de R$ 3 milhões ao ano e hoje o montante chega a R$ 10 milhões, somente em custeio. “Ela tinha pouco servidores, mas foi feito um concurso e ampliou as vagas de peritos, por exemplo. O setor está melhorando”, destacou o secretário.

O deputado Wilson Santos (PSDB), que presidiu a audiência pública, disse que as duas áreas – educação e segurança – estão no caminho certo. Na segurança pública, por exemplo, começa a chamar a atenção de todo o Brasil.

“Estamos longe da sensação de segurança, mas os últimos quatro anos demonstram que estamos no caminho certo. Mato Grosso já recebe secretários de outros estados para aprender e conhecer metodologias novas que têm reduzidos o volume de roubos, furtos, e, principalmente, de homicídios”, disse Santos.

Em relação à pasta da educação, Santos afirmou que o estado tem investido pesado na infraestrutura, construindo mais de 50 novas escolas. Segundo ele, hoje o estado paga o melhor salário para os professores se comprado com outros estados brasileiros. Mas defende que o governo invista mais no setor pedagógico. “O nível de aprendizagem ainda não está bom. Hoje, de cada 100 estudantes, apenas 14 deles que sabem fazer as quatro operações aritméticas”, afirmou Santos.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2018 - Todos os direitos reservados